Por que amamentar exclusivamente até os seis meses de vida?

Todos estão cansados de escutar que devemos amamentar nossos filhos exclusivamente com o leite materno até os 6 meses de vida, mas quais são as vantagens e benefícios?

Há alguns anos atrás, a recomendação da OMS era que os bebês fossem amamentados exclusivamente entre 4 e 6 meses de vida. Porém, diante de diversos estudos realizados pode-se observar a importância de estender o aleitamento materno exclusivo até os seis meses. Esta recomendação foi adotada por diversos países como Brasil, Estados Unidos e Canadá.

Amamentar, independente do tempo, sempre traz benefícios às mães e bebês, mas as vantagens são mais visíveis quando o aleitamento materno é realizado de forma exclusiva até os 6 meses e complementada por 2 anos ou mais.

A prática do aleitamento materno exclusivo (AME) está associada à redução do risco de desenvolvimento de doenças nos bebês, como otite média aguda, dermatite atópica, gastroenterite (diarréias e vômitos), infecções intestinais, doenças do trato respiratório superior e síndrome da morte súbita do lactente.

Estudos recentes demonstraram que a promoção do AME é uma intervenção em saúde pública com maior potencial para a redução da mortalidade infantil.

Além de uma maior proteção contra infecções, a amamentação exclusiva também traz benefícios nutricionais.

A suplementação com outros alimentos e líquidos diminui a ingestão de leite materno, o que pode ser desvantajoso para a criança, já que muitos alimentos e líquidos oferecidos são menos nutritivos e podem interferir na absorção de ferro e zinco contidos no leite materno.

Entre os benefícios para a mãe encontramos:

· Maior perda de peso;

· Redução das chances de desenvolver:

o Câncer de mama e de ovário;

o Diabetes

o Hipertensão

o Redução de custos, já que o leite materno não custa nada, o que segundo a UNICEF e OMS, a oferta de fórmulas nos 3 primeiros meses de vida, equivalem a 30% do salário mínimo vigente.

Apesar de todas as evidências das vantagens e benefícios do aleitamento materno exclusivo, o último estudo nacional sobre a prevalência revelou resultados muito distantes dos índices ideais considerados pela OMS. A prevalência de AME em menores de 6 meses foi de 41%, no conjunto das capitais e Distrito Federal, com uma média de duração de 54,1 dias ou seja menos de 2 meses.

Ainda há muito que fazer! Falta de informação e falta de profissionais capacitados são alguns dos vilões.

Busque informação, busque apoio de profissionais capacitados, dê ao seu filho e a você o melhor que o nosso corpo tem a oferecer!

0 visualização

(14) 9.9801-5897