O sono do Feto

O sono, mesmo antes do nascimento, possui uma fantástica importância no desenvolvimento do bebê.

Por volta da 23ª semana de gestação o cérebro do feto já é capaz de produzir os dois estágios de sono, REM e NREM (Sono leve e profundo). Durante o sono leve, nossos movimentos são contidos por um mecanismo paralisador, o feto ainda imaturo, não bloqueia seus movimentos, o que faz com que durante a gestação a mãe sinta muitos movimentos do bebê.

O feto, neste estágio, passa dentro das 24h períodos no sono REM, sono NREM e um estágio intermediário, ainda pouco conhecido, mas sabidamente não é um estado de vigília. Somente no último trimestre aparecem algumas poucas horas do estado de vigília.

No fim da gestação o tempo de sono REM aumenta consideravelmente, em torno de 9h por dia, na última semana chega a 12h, um recorde deste estágio de sono em toda a vida.

O sono REM atua como um fertilizante elétrico nesta fase de formação. Explosões de atividades elétricas durante o sono REM estimulam o crescimento da complexa comunicação das diversas partes do cérebro chamada de “vias neurais”.

“A época da vida em que o sono REM predomina, é o mesmo estágio em que o cérebro está passando pela maior construção”.

O recém-nascido ainda apresenta o sono muito semelhante a sua vida intra-útero. Com o passar dos meses, as fases do sono vão se equilibrando. Com 6 meses o bebê passa 50% do tempo em sono REM e 50% no sono NREM e assim o tempo em sono REM vai diminuindo, chegando a apenas 30% aos 5 anos.

Gostou de saber? Marque uma amiga e compartilhe!


*Fonte: WALKER, Matthew. Por que nós dormimos. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2018.

2 visualizações

(14) 9.9801-5897