O Colostro

Durante a gravidez, especificamente após a 20ª semana de gestação, a mama já está pronta para produzir leite, que chamamos de pré-colostro, mas o faz em pequena quantidade, porque a placenta inibe a ação do hormônio responsável pela produção do leite (a prolactina).

Com o parto e a saída da placenta, ocorre um aumento na concentração da prolactina no sangue, induzindo o início da produção do leite (colostro). E então, entre 48 a 72 horas após o parto, as mamas aumentam de tamanho, ficam mais quentes, sensíveis e dolorosas, o que chamamos de Apojadura e logo depois a descida do leite.

O colostro é o primeiro leite produzido pela nutriz. Inicia-se ainda durante a gestação, como descrito acima e permanece até a primeira semana pós-parto. É um fluido amarelado, de pequeno volume, rico em proteínas, minerais, fatores de proteção e contém menos carboidratos e gorduras. O volume secretado varia amplamente de 2 a 20 ml por mamada nos primeiros 3 dias, aumentando gradativamente.

Ao contrário do que muitas pessoas imaginam, o colostro é a nutrição ideal para os primeiros dias do bebê, permitindo a boa adaptação do recém nascido à vida extra-uterina, ou seja, a sua nova vida fora do útero.

Possui ainda ação laxante, favorecendo a eliminação do mecônio, a primeira evacuação do bebê, prevenindo a icterícia, favorecendo o estabelecimento da flora intestinal e protegendo contra infecções intestinais.

Em estudos recentes observou-se que pequenas quantidades de colostro são capazes de prevenir a queda dos níveis de glicemia em bebês nascidos a termo e saudáveis, assim como possui a quantidade necessária de água para hidratar o bebê, mesmo em climas quentes.

Todas as mães e familiares, pessoas próximas que acompanham a mãe nos primeiros dias precisam saber e entender que o colostro é sim capaz de alimentar o bebê nos primeiros dias, mantendo-o nutrido e hidratado.

Ao nascer, o estômago do bebê é bem pequeno então porque as mães deveriam ter muito leite nos primeiros dias após o parto? Com certeza isso só iria atrapalhar.

O choro e as mamadas frequentes tornam os pais inseguros, achando que seus bebês não estão alimentados, mas chorar e mamar muito são situações muito naturais nos primeiros dias de vida.

É muito importante que a mãe acredite na sua capacidade em amamentar, que tem sim leite suficiente para nutrir o seu bebê. Quanto mais o bebê mamar, mais leite será produzido.

0 visualização

(14) 9.9801-5897