Melatonina

A melatonina é um hormônio, produzido por uma região do nosso cérebro chamada glândula pineal.

Em nosso organismo, esse hormônio possui diversas funções:

  • Antioxidante.

  • Anti-inflamatório.

  • Imunomodulador.

  • Antitumoral.

  • Regulador da temperatura: visto que temos um pico de alta temperatura de dia e baixa a noite, coincidindo com a sua produção.

  • Regulação do ritmo circadiano e da sazonalidade: sua concentração se altera de acordo com a estação do ano.

  • Indutor do sono.

Durante a gestação a melatonina atravessa a barreira placentária, estudos indicam seu aumento durante a gestação e sua presença no líquido materno, o que precederia o ritmo circadiano a todos os órgãos do feto.


Bebês amamentados ao seio recebem o precursor da melatonina (triptofano) através do leite materno e começam a sua própria produção com 12 semanas de vida.


A partir desse momento, sua produção começa a aumentar, atingindo um seu pico na pré-puberdade e no final da puberdade seus valores começam a diminuir.


Sua produção é regulada quase que exclusivamente pelo ciclo claro-escuro, sendo assim sua produção ao longo do dia é mínima, aumentando com o anoitecer e ocorrendo um pico entre 2h e 4h da manhã.


A presença da luz, além de sincronizar o ritmo circadiano também exerce um efeito inibitório na liberação da melatonina a noite.

Nosso foco será falar sobre a melatonina e o sono, assunto que gera muito interesse e dúvidas.


A produção da melatonina começa a acontecer com o anoitecer, aumentando gradativamente e favorecendo o adormecer.

Atualmente existe um uso indiscriminado da melatonina sintética para atuar nos problemas de sono.


Quando falamos de crianças, os estudos ainda são baixos e seu uso contraditório.

O uso da melatonina sintética, tem suas indicações em problemas específicos e deve sempre ser mediada e indicada por um médico.


Na infância, os distúrbios de sono, em sua grande maioria estão relacionados a problemas comportamentais e emocionais, sendo assim podendo ser solucionados com mudança de comportamento, suporte emocional e não com a administração de melatonina.

Dessa forma, podemos reforçar a importância de todas as orientações de higiene do sono para a melhora do sono infantil.


Vale reforçar que é de suma importância que levemos em consideração a idade da criança para sabermos o que esperar de cada faixa etária.

Referência bibliográfica


· GLANZMANN, RONALD; MOREIRA, LUIZ FERNANDO; MARQUES, SABRINA DE ALMEIDA; SILVA, KELLY CRISTINA; SOARES, VERONICA CRISTINA GOMES. O USO DA MELATONINA COMO INDUTOR DO SONO: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA. Revista UNINGÁ, Jundiaí, ano 01, v. 56, p. 157-167, 20 jan. 2019. Disponível em: http://revista.uninga.br/index.php/uninga/article/view/2094. Acesso em: 4 abr. 2020.

· ALVES, Rosana S. Cardoso; NETO, José Cipolla; NAVARRO, Jessie M.; OKAY, Yassuhiko. A melatonina e o sono em crianças. Divisão de Pediatria do Hospital Universitário e Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo., São Paulo, v. 20, n. 2, 21 jan. 1998. Pediatria, p. 99-105. Disponível em: http://www.icb.usp.br/~cipolla/arquivos_pdf/Melatonina%20e%20o%20Sono%20em%20criancas.pdf. Acesso em: 4 abr. 2020.

10 visualizações

(14) 9.9801-5897