Amamentar um prematuro

A nutrição de bebês prematuros é tão ou mais importante que o desenvolvimento tecnológico, ela pode determinar a sobrevida desse recém-nascido.

As propriedades nutricionais e anti-infecciosas do leite da mãe do recém-nascido prematuro são adequadas as necessidades desse prematuro devido a velocidade de crescimento aumentada. O leite da mãe de prematuro é rico em proteínas, tem menor quantidade de lactose e mais energia. Os macronutrientes como cálcio, fósforo, magnésio, zinco e sódio estão em maior quantidade. Contém também maior capacidade anti-infecciosa.

Diante de tanta perfeição, afinal, o nosso organismo prepara um alimento ideal para cada fase do bebê, o leite da própria mãe é o alimento perfeito para a alimentação do prematuro.

É fascinante saber todos esses detalhes e perfeição, mas quando um prematuro nasce, nasce junto uma mãe prematura, uma situação pouco esperada e que gera insegurança e medo nos pais, que são tomados por dois sentimentos, o de incapacidade pelo parto precoce e de luto, com o medo da perda do seu bem mais precioso.

Manter a produção de leite nos primeiros dias torna-se difícil devido ao distanciamento entre a mãe e o bebê, tanto do contato pele a pele como propriamente da amamentação (boca/mama), quando a criança esta internada na Unidade de Cuidados Intensivos.

A descida do leite também pode estar comprometida, pois depende de fatores como a sucção na mama e em especial neste primeiro momento, do hormônio chamado Ocitocina. Para que esse hormônio possa fazer seu papel a mãe precisa estar segura, tranquila e sem ansiedade, o que não é um quadro comum, especialmente nos primeiros dias de uma mãe prematura.

Diante desse fatores podemos ver o quanto é importante criar uma rede de apoio emocional a essas mulheres e suas famílias, para que ela tenha sentimentos positivos e que a ocitocina possa agir!

O bebê prematuro por sua vez pode apresentar uma sucção fraca das mamas devido a sua prematuridade, muitas vezes precisando inicialmente de outros meios de alimentação como a sonda.

Tudo isso irá depender da idade gestacional que o bebê nascer, quanto mais prematuro mais obstáculos precisarão ser vencidos e o contrário também é verdadeiro. Sem esquecer que cada dupla mãe-bebê são únicas, com mais ou menos capacidade de sugar, deglutir e digerir, bem como mães mais ou menos capazes de produzir e oferecer seu leite através da mama.

Bebês prematuros dormem mais do que bebês nascidos a termo, sendo necessário por vezes despertá-los para mamar.

Características gerais da sucção do prematuro:

· 30 semanas: lenta e imperfeita;

· 32 semanas: rápida e incompleta;

· 34 semanas: completa e duradoura, idade que o bebê tem praticamente plena capacidade de sugar o seio materno.

Como falamos anteriormente, cada bebê é único e cabe ao profissional que acompanha avaliar se ele está apto ou não a sugar o seio antes das 34 semanas, o que em muitos casos é totalmente possível de acontecer.

Algumas orientação gerais são importantes para contribuirmos no sucesso do aleitamento do prematuro.

· Contato precoce entre mãe e bebê, pele a pele e assim que possível iniciar a sucção na mama;

· Iniciar a ordenha do leite materno precocemente de 3/3 horas;

· Permitir que a mãe descanse para a boa produção de leite;

· Bebês prematuros perdem fácil a concentração, evitar movimentos bruscos da mãe e estímulos como som e luz;

· Despertar o bebê para as mamadas.

Lembre-se, não compare seu bebê prematuro, independente da idade gestacional que ele nasceu, com um bebê nascido a terno, pois são muito diferentes e comparações só trazem ansiedade e insegurança a mãe.

A presença de um profissional especializado e capacitado em situações especiais como essa fazer toda a diferença no sucesso do aleitamento materno, garantindo apoio técnico e emocional a essa mãe. Consulte uma Consultora em Aleitamento Materno!

0 visualização

(14) 9.9801-5897